Stresse

Stresse

É POSSÍVEL VIVER DESCANSADO

Em Portugal, o excesso de stresse é responsável pelo facto de 20% da população sofrer de depressão e 40% de hipertensão. É igualmente devido a problemas relacionados com o stresse, direta ou indiretamente, que o número de enfartes em Portugal triplicou nos últimos 10 anos.

Stress e a alimentação!

Muitas pessoas saltam refeições quando estão sob stress. Porém, comer é fundamental para controlar o stress.

30 Mar, 2017

Chocolate para combater a depressão.

O chocolate é um alimento fantástico para quem sofre de depressão, mais exatamente o cacau do chocolate. Tem a capacidade de estimular a produção no cérebro de tirosina, essencial para ativar os neurotransmissores do bem estar, tal como a serotonina e a dopamina.

05 Abr, 2016

Organismo com pH ácido!

Se o seu organismo apresenta um PH demasiado ácido, então, estas não são boas notícias. São vários os fatores que podem causar um pH ácido no nosso organismo, tais como: uma dieta acidificante, o stresse, tabaco, sobrecarga de toxinas! As pessoas com um PH mais ácido no organismo apresentam mais queixas a nível de cansaço, dificuldade de recuperação, queda de cabelo, problemas de pele, dificuldades do trato respiratório e alterações de peso. A acidose excessiva do nosso organismo pode ir mesmo mais longe e causar problemas mais sérios como a redução da capacidade do organismo para reparar células.

10 Mar, 2016

Controle o seu stresse

A ansiedade e a tensão do dia-a-dia, vulgarmente denominadas “stresse”, provocam uma série de alterações no nosso organismo, que não são sentidas apenas ao nível mental e emocional, mas também com sensações físicas. Cansaço, insónias, dores e contraturas musculares são os males mais rapidamente identificados, mas pode haver casos em que há elevação inclusive dos níveis de colesterol e tensão arterial, o que é negativo para o sistema cardiovascular.

Muitas pessoas que sofrem de stresse têm tendência para comer muito, o que também leva ao aumento de peso e de massa gorda. 

04 Jun, 2014

Chá verde para pele radiante

O chá verde, como já quase todos sabem, é rico em antioxidantes. Os antioxidantes são excelentes para o anti-envelhecimento, pois combatem os radicais livres. Mas o chá verde também contém um aminoácido chamado L-teanina que ajuda o nosso corpo a descontrair e que diminui os níveis de stresse.

Quando este chá é bebido quente, o calor liberta catequinas, antioxidantes que têm capacidades anticancerígenas provadas e propriedades anti-inflamatórias. O risco de sofrer de tensão arterial elevada também diminui com o consumo de chá verde.

13 Maio, 2014

A passiflora e o seu fruto maracujá

Vitaminas, minerais e aminoácidos são essenciais para lidar com o stresse. Os aminoácidos fornecem triptofano, que está relacionado com a sensação de bem-estar. Há alimentos naturalmente calmantes, com compostos que ajudam a lidar com os efeitos da tensão diária.

O maracujá, a alface, a melissa e a cidreira são os alimentos e ervas de maior poder calmante, mas o limão também é um bom amigo, porque limpa o organismo de toxinas e é rico em vitamina C, antioxidante e importante para a saúde do sistema nervoso.

30 Abr, 2013

Stresse também engorda…

A razão é muito simples e tem tudo a ver com as nossas defesas. Quando a tensão é excessiva, o nosso corpo entra naquilo que se chama “modo de sobrevivência” e começa a ser libertada cortisol, a hormona do stress. Isto provoca aumento do apetite, o que pode levar-nos a escolher comidas muito calóricas, o chamado “alimento de conforto”. A combinação da libertação de cortisol com a escolha de alimentos de conforto é a receita perfeita para aumentar de peso.

09 Nov, 2011

Reduza o stresse para proteger o coração

Há cada vez mais provas que referem que os factores psicológicos afectam o coração e podem contribuir para o risco cardíaco. 

O stresse provocado por situações e por acontecimentos exigentes tem um papel significativo nos sintomas e impacto cardiovascular, principalmente no risco de ataque cardíaco. Mas a depressão, a ansiedade, a raiva, hostilidade e isolamento social também afectam a saúde cardiovascular. Cada um destes factores aumenta o risco, e muitas vezes eles não aparecem isolados, mas sim interligados.

26 Ago, 2011